Terminou nesta sexta-feira (09) o Encontro Estadual dos CEJAs, realizado na sede do Sindicato APEOC, em Fortaleza. O evento teve início nesta quinta (08) e contou com a participação de mais de 60 profissionais de 30 Centros Educacionais de Jovens e Adultos, do interior e capital, além de representação da Secretaria da Educação do Estado e da direção do próprio Sindicato. O objetivo foi discutir e propor uma política de valorização dos CEJAs, afim de garantir maior apoio institucional às unidades e aos profissionais.

Na tarde de quinta-feira (08), foram formadas quatro comissões para discutir as propostas elaboradas por cada Centro com a participação de estudantes, professores, técnicos e gestores. Na manhã desta sexta (09), os grupos apresentaram propostas sob quatro aspectos fundamentais:

  • Comunicação e divulgação da atuação dos CEJAs no contexto da Rede Estadual de Ensino;
  •  Dados/números/SIGE/Metas;
  •  Propostas Pedagógicas;
  •  Modelo de Funcionamento Individual de cada CEJA.

Com o resultado das apresentações, será produzido um documento conclusivo a ser apresentado ao secretário da Educação do Estado, Idilvan Alencar, com propostas e reivindicações dos profissionais.

O vice-presidente estadual, Reginaldo Pinheiro, afirmou que o encontro é uma grande oportunidade de socialização entre todos os CEJAs do Estado. “O Sindicato APEOC não está apenas sediando o encontro, está apoiando com hospedagem e alimentação. Esse é um compromisso do Sindicato com a modalidade de Educação de Jovens e Adultos, que merece uma maior divulgação e conhecimento por todos que fazem a Educação no Ceará. Estamos engajados nessa luta pela valorização, e queremos entregar o documento produzido até o final de junho, para que as reivindicações sejam efetivadas pela gestão até 1º de agosto”, falou.

Alguns professores também destacaram a importância do encontro. Veja os depoimentos:

“Estamos tendo nesses dois dias uma oportunidade de reunir quase todos os CEJAs do Estado do Ceará, para discutir políticas pedagógicas e formas de funcionamento dos Centros. Vamos apresentar as propostas para a Seduc, para um diagnóstico de como funcionam os Centros, tanto na capital, quanto no interior. Agradeço ao Sindicato APEOC por proporcionar essa oportunidade de, pela primeira vez no Estado, fazer um encontro desse nível de todos os CEJAs”. José Ribamar – professor (CEJA Dona Estrela, Tianguá)

“A grande maioria dos CEJAs está presente nesse encontro realizado pelo Sindicato APEOC, compartilhando os pontos positivos e negativos presentes em cada Centro. Estamos achando um eixo comum para um melhor funcionamento dos CEJAs, para que sejam mais bem aproveitados, e que haja toda uma reformulação dos equipamentos defasados ou mal utilizados, como os laboratórios. Graças ao apoio do Sindicato na realização desse encontro, os profissionais dos CEJAs estão unidos e querem partir para a frente, para que haja uma melhora significativa no funcionamento das unidades”. Írio Coelho – professor (CEJA Governador Luís de Gonzaga da Fonseca Mota, Iguatu)

“Esse encontro vem para reafirmar as diretrizes e as premissas da Educação de Jovens e Adultos, que é o acesso ao conhecimento para milhões de jovens que não cursaram o ensino fundamental e médio no tempo devido. Os CEJAs recebem esses estudantes que não são acolhidos na proposta de escola seriada, por questões de mercado de trabalho e condições particulares dos estudantes, que não permitem que eles permaneçam no método tradicional de ensino. Estamos construindo propostas coletivamente com os CEJAs do Estado, para levar ao secretário no intuito de melhorar a valorização dos profissionais dos Centros, e no sentido de ampliar o atendimento aos jovens e adultos.  Estamos aqui lutando, junto com o Sindicato APEOC, para garantir o direito de milhões de alunos de ter acesso ao conhecimento e a Educação”. Maria Valdecir Abreu – professora (CEJA Neudson Braga, Fortaleza)

“O encontro é uma reivindicação do Sindicato APEOC e dos professores dos CEJAs, e é um anseio de muitos anos. Sempre quisemos reunir os Centros de Educação para discutir questões de ordem organizacional e pedagógica, e as concepções que temos como norteadores dessa modalidade de ensino. Temos aqui uma representação massiva dos Centros do Estado do Ceará. Desde 2009 estamos tentando mostrar para a Secretaria de Educação as necessidades que os professores passam todos os dias com o ensino de Jovens e Adultos, que cresce a cada dia, não só em número, mas também em produção científica. Temos uma discussão que vai além da simples oferta de uma vaga nas escolas. Queremos atender esse público jovem e adulto”. Alles Lopes – professor (CEJA Moreira Campos, Fortaleza)

O que é o CEJA?

Os Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJAs) são escolas da Rede Estadual de Ensino, destinadas a jovens e adultos que estão fora da idade escolar e que desejam concluir o Ensino Fundamental e o Ensino Médio.

Como funcionam os CEJAs?

Não existem aulas regulares como nas escolas tradicionais. O material didático é oferecido gratuitamente na escola em sistema de empréstimo. O aluno estuda a seu tempo, se dirige ao polo para um atendimento individual e para fazer as provas ao sentir-se seguro.

O segundo segmento do ensino fundamental (6º ao 9º ano) é voltado àqueles que têm pelo menos 15 anos de idade e concluíram o primeiro segmento (1º ao 5º ano). Já o ensino médio é destinado a quem possui no mínimo 18 anos e cursou todo o Ensino Fundamental.