Os professores e servidores da Educação do município de Chorozinho deliberaram em assembleia realizada nesta quarta-feira (25) a aprovação de todas as condições negociadas pela Comissão Municipal da APEOC em Chorozinho com a Prefeitura da cidade. A assembleia ocorreu na Igreja Presbiteriana do município.

O professor Alessandro Carvalho, presidente da APEOC Chorozinho e diretor da CNTE, analisou a atuação do sindicato.  “O elevado grau de discussão abordada, o comprometimento da categoria com a causa coletiva e a seriedade e qualidade da direção sindical dão força à categoria como um todo e possibilitam ganhos coletivos”. O sindicato acompanhará e cobrará cumprimento e aplicação de todos os pontos da pauta.

Confira os pontos que foram encaminhados na mesa de negociação, com aprovação da categoria.

MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE
Sugerida pelo Sindicato APEOC e com o intuito de estabelecer encontros periódicos com a prefeitura para negociar as diferentes reivindicações da categoria, a proposta foi acatada pela gestão, cabendo agora formalizar datas de reuniões bimestrais.

SALÁRIOS ATRASADOS
O prefeito assumiu a responsabilidade de efetuar o pagamento do salário referente ao mês de dezembro dos servidores da Cultura no município. Contudo, o gestor expôs a dificuldade por não ter acesso aos dados de quais servidores foram pagos e quais ainda não receberam seus pagamentos. O prefeito afirmou que a contabilidade da gestão passada deve enviar os dados necessários até o dia 31 deste mês e que, a partir daí, o pagamento será efetivado. O Sindicato APEOC firmou a posição de não abrir mão dos salários dos referidos servidores.

REAJUSTE DO MAGISTÉRIO
Ponto central da pauta dos professores da rede municipal de ensino, o Sindicato APEOC reivindicou reajuste de 7,64% (reajuste do Piso Salarial do Magistério) repercutindo em toda a carreira. O Projeto de Lei que trata sobre o reajuste do magistério já foi enviado à Câmara Municipal para a apreciação dos vereadores e será votado na próxima sexta (27). Os efeitos financeiros do projeto têm data retroativa a primeiro de janeiro.

FIM DO ESTÁGIO PROBATÓRIO
O Sindicato APEOC cobrou agilidade no processo de análise do estágio probatório e consequente publicação dos atos de estabilidade. A prefeitura se comprometeu a agilizar o processo, mas não divulgou um calendário das atividades. Primeiro será constituída uma comissão para analisar o caso. Uma portaria deve ser publicada ainda esta semana definindo as duas Comissões previstas em lei e um calendário de atividades, prevendo os prazos para cada procedimento, inclusive, a publicação dos atos.

CARGA HORÁRIA DOS PROFESSORES
O Sindicato também reivindicou o real cumprimento da lei que estabelece o total de um terço da carga horária do professor para atividades de planejamento e formação e dois terços para regência em sala de aula (27h/a em plena regência e 13h/a de planejamento). A prof. Célia Marinho, secretária de Educação, comprometeu-se a fazer os ajustes possíveis este ano e afirmou que a partir da lotação do próximo ano, a carga horária de todos professores será integralmente respeitada.