A Prefeitura de Caridade não mandou representante na audiência de tentativa de conciliação para o repasse do precatório do Fundef aos professores municipais. O encontro seria no Fórum da cidade, na tarde desta quinta-feira (06), numa Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público, em que o Sindicato APEOC foi chamado como representante legítimo dos profissionais da Educação. A Prefeitura alegou que a procuradora do município está de férias e, por isso, não teria como participar da audiência.

Diante da situação, o juiz substituto da comarca de Caridade, Saulo Belfort Simões, convocou uma nova audiência para o dia 27 de julho, com a presença do representante da Prefeitura, do Ministério Público e o do Sindicato APEOC.

Luta pelos 60%

Além do presidente estadual do Sindicato APEOC, Anizio Melo, e dos membros da Comissão Municipal de Caridade, vários professores foram esta tarde ao Fórum reivindicar um acordo pra garantir o repasse dos 60% do precatório do Fundef aos profissionais do Magistério. O Sindicato APEOC vai continuar na luta pra garantir que 100% de verba sejam destinados à Educação, obedecendo o repasse mínimo aos professores.

(Visitados 516 vezes, 1 visitas hoje)